Contra a reforma Trabalhista e da Previdência, trabalhadores realizam manifestação em Campo Grande

Cerca de 20 mil pessoas ocuparam o Centro da Capital, na manhã desta quarta-feira (15). O ato faz parte do Dia Nacional de Mobilização e Paralisação Contra as reformas Trabalhistas e da Previdência, organizada por movimentos sociais e sindicais.

O protesto mobilizou diversos trabalhadores contra a PEC 287/16, do Governo Federal, que trata sobre a reforma da Previdência Social. A ação coincide com as greves convocadas por sindicatos da educação no país.

“As paralisações e manifestações ocorridas nesta manhã foram surpreendentes. Mostraram o envolvimento da sociedade civil, que tomou conhecimento da gravidade dessa PEC que está sendo colocada pelo Governo Federal, contra os direitos do trabalhador brasileiro”, destacou o presidente estadual da Força Sindical e do Solidariedade MS, Idelmar da Mota. Além disso, acaba de ser criada uma CPI para apurar de fato se há um rombo na Previdência Social. Como cidadão e sindicalista, sou totalmente contra essa reforma, por entender que essa não é uma reforma, e sim um desmonte ao sistema previdenciário”, afirmou Idelmar.

A manifestação em Campo Grande interditou a Avenida Afonso Pena do cruzamento com a Rua 14 de Julho até a Rua Rui Barbosa e a Rua 13 de Maio, entre a Rua Barão do Rio Branco e a Rua 15 de Novembro.